Telefone: (+351) 219 154 600

Vestuário Técnico Atex – TecRisk

É de importância primordial o uso de vestuário técnico atex para trabalhos em ambientes explosivos para se excluírem fontes de ignição e ainda para, em caso de incidente, mitigar as consequências para os trabalhadores da sua exposição ao calor convectivo, radiante, salpicos de metais derretidos ou a sua combinação, conforme definido na EN ISO 11612 (antes EN 531).

Tratando-se de vestuário de trabalho torna-se implícita a sua lavagem frequente, sendo aceite que deva ser lavado pelo menos 2 vezes por semana por via húmida.

Considerando o seu preço relativamente elevado, deve entender-se que este tipo de vestuário deve suportar em média 50 ciclos de lavagem, ou seja, deve estar preparado para durar cerca de 1 ½ a 2 anos em condições de uso normal, sem perda de propriedades.


Descrição

Uma coleção de vestuário técnico atex adequada para ambientes explosivos foi desenvolvida em parceria com o CITEVE.

É confecionada em Portugal recorrendo a tecidos técnicos de última geração que combinam fibras sintéticas e naturais na proporção de 50% Algodão+39% Acrílica modificada tipo F+10% Viscose+1% Fibras anti estáticas,

Com textura 250 g/m2, inerentemente ignífugos e anti estáticos,

Integrando quatro peças distintas,

Concebidas e certificadas para uso em ambientes potencialmente explosivos,

Privilegia o conforto dos portadores e o seu bem-estar graças à ergonomia e estética que lhes são intrínsecas,

com a adição de características de elevada visibilidade noturna/diurna conferida por bandas triplas amarelo/prata/amarelo contrastando com as cores de fundo,

De cor Azul Marinha, com duas opções de cores para a Camisa e Fato Integral – Azul Marinha ou Vermelho,

integrando um conjunto de acessórios complementares pensado para responder às necessidades operacionais, cumprindo as seguintes Diretivas e Normas:

Diretiva 89/686/CEE alterada pela Diretiva 93/68/CEE

Diretiva 93/95/CEE

Diretiva 96/58/CEE

Norma EN ISO 11612:2008 – Vestuário de proteção contra calor e chamas;

Materiais, conjuntos de materiais e vestuário com propagação de chama limitada.

Norma EN ISO 11611:2007 – Vestuário de proteção para utilização durante a soldadura e processos associados.

Norma EN 1149-5:2008 – Vestuário de proteção – propriedades eletrostáticas – requisitos de desempenho do material e de conceção.

Norma EN 13688:2013 – Vestuário de proteção – requisitos gerais – 50 ciclos lavagem, disponíveis nos tamanhos XSmall a 4XLarge conforme escala antropométrica Europeia, todas as peças com marca de conformidade CE.

Este vestuário técnico atex deve cumprir condições técnicas muito apertadas, só podendo ser usado para a sua confeção tecidos que cumpram os parâmetros definidos em várias normas técnicas e a sua confeção deve estar certificada com a marca CE.

Deve ainda a sua conceção estar em linha com as prescrições aplicáveis, não descurando os aspetos objetivos e subjetivos que lhes devem ser intrínsecos, tais como:

ergonomia

estética

leveza

respirabilidade

mobilidade

fixação de cores

resistência mecânica

longevidade

A qualidade, especificações e textura do tecido usado é determinante para conferir ao vestuário os atributos acima, incluindo as suas propriedades ignífugas, as quais podem ser permanentes e inerentes à combinação de fibras usadas, ou decorrer apenas de acabamentos químicos conferidos aos tecidos, normalmente temporários e que se dissipam com as lavagens.

Adicione um comentário